12.6.11

fios de lã velha

o poder da ansiedade explode no topo da cabeça escorrendo pelo corpo, tornando-se translúcido na sua dúvida e liquidez, desconfiando de talvez alguma flacidez interior. as mãos passam a existir importantemente com uma destreza surreal fazendo vibrar paredes - mesmo quando tendão é aço inflexível. cada batida cardíaca do outro nasce em inflamação muscular que nos consome das unhas à nuca. o olho retoma todas as alvoradas à sua origem meramente surda.


mexendo entre dias 10 e 12 em dias suspensos de pessoas. Lx, casa geta - casa mia.

2 comentários:

  1. é genial, de facto. lemo-lo devagar, saboreamo-lo, com receio que acabe depressa.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar

onde estiveste hoje?

bons-dias

no fundo da chávena

segue os buracos na calçada